ZAP CoVida e Telegram: Rede amplia canais de comunicação

Thiane Neves Barros*

A Rede CoVida passa a ter a partir de hoje, dia 10 de junho, um espaço também no canal de comunicação Telegram. O novo espaço é uma expansão do que é feito nos diversos meios de comunicação da rede, como já ocorre no WhatsApp. Respeitando as características de cada rede, no Telegram e no WhatsApp os conteúdos produzidos estão em formatos de áudio, vídeo, texto e cards nos grupos, respectivamente, chamados Rede CoVida – Coronavírus e Zap CoVida. Os canais são aberto e as pessoas podem acessar por meio dos links que estão disponibilizados em um banner na homepage do site da Rede CoVida e por meio do link logo abaixo.

Por ser um dos mais populares aplicativos de celular para bate-papo, o WhatsApp tem sido muito utilizado para propagar falsas informações a respeito da pandemia da Covid-19, como já acontece no país com diversos boatos que após ganhar aspectos de produtos científicos são compartilhados entre milhares de pessoas. O mesmo fluxo tem sido reportado no Telegram. 

Criar o Zap CoVida e a Rede CoVida – Coronavírus é estratégia de capilarização da comunicação da Rede, que também possui Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e uma newsletter destinada a jornalistas. Os canais não exercem a função convencional de um grupo do aplicativo, tendo, média, uma postagem por dia, mas não há troca de mensagens ou qualquer tipo de interação entre as pessoas que o acessam. 

Os grupos funcionam como repositórios de informações validadas por pesquisadores e o objetivo é que estas informações sejam amplamente divulgadas. Então ao receber as novidades, as pessoas podem contribuir como multiplicadoras e repassar as mensagens para familiares, amigos e colegas de estudo e trabalho.

A responsável pela postagem é Carla Borges, uma das voluntárias de Rede e estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, que capta, seleciona e adequa os conteúdos produzidos por profissionais de comunicação da Rede para esses espaços. As atividades de comunicação tem a coordenação  de especialistas em Comunicação e Informação e Saúde pela Fiocruz e pesquisadores de Comunicação da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Ufba). 

 

Link para o grupo do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/Ez2rKRAJKx8D4NSr2bfjeE

 

No Telegram:  t.me/RedeCoVida

Link para o grupo: https://chat.whatsapp.com/Ez2rKRAJKx8D4NSr2bfjeE

 

*Thiane Neves Barros – Doutoranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA), Mestra em Comunicação, Cultura e Amazônia (UFPA), professora, pesquisadora e publicitária. Colabora voluntariamente para a Rede CoVida.

Este texto tem a supervisão de Karina Costa, Mestre em Comunicação e Informação em Saúde pela Fiocruz, analista de comunicação do Cidacs.

Deixe uma resposta