Integração entre Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária à Saúde é tema de Boletim CoVida

Pesquisadores da Rede CoVida lançam nesta segunda-feira (31) a oitava edição da série “Boletim CoVida”, com os achados recentes de investigações sobre a pandemia do novo coronavírus. O novo número do documento tem como título a “Integração entre Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária à Saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19” e traz as experiências nacionais e internacionais de baixo custo que resultaram em efeitos positivos no controle da Covid-19.

Ao comentar as principais ações de vigilância, os pesquisadores listaram algumas sugestões e avaliações. Entre elas está a dificuldade de conhecer com precisão a ocorrência de casos e óbitos por covid-19 no Brasil pela ausência de representatividade, magnitude e sensibilidade da notificação dos casos.

Outro ponto comentado pelos investigadores está o fato de as ações governamentais estarem sendo marcadas pela falta de consenso e coordenação entre as esferas de gestão do SUS. Segundo eles, as divergências ajudam a “explicar o fracasso do Brasil na luta contra o novo coronavírus”.

As experiências bem-sucedidas em Cuba, China e Coreia do Sul no âmbito da Atenção Primária em Saúde foram relatadas pelos autores da pesquisa. Além disso, exemplos nacionais também foram discutidos.

Os investigadores destacaram a integração de ações de Vigilância e Assistência à Saúde em Belo Horizonte (MG); os Protocolos de testagem em Florianópolis (SC) e Canaã dos Carajás (PA); as formas de rastreamento de contatos e a quarentena em Nova Lima (MG) e Sobral (CE); bem como os painéis de monitoramento, ações de educação em saúde e vigilância em instituições de longa permanência para idosos em cidades da Região Nordeste e Sudeste.

Confira o boletim na íntegra

Deixe uma resposta