Como cobrir a pandemia da Covid-19 no Brasil?

Dezembro de 2019 se tornou um marco importante para a história recente da humanidade. Foi quando a China registrou os primeiros casos de Covid-19. A doença se espalhou rapidamente pelo mundo causando modificações gradativas e profundas no cotidiano da população mundial.

A rotina das práticas jornalísticas também foi modificada e novos procedimentos passaram a fazer parte do trabalho. Diante desse grande desafio que a cobertura da pandemia da Covid-19, na qual há incertezas de todos os lados, inevitavelmente surgem muitas dúvidas. Como cobrir a pandemia tendo ao mesmo tempo que informar com qualidade, lidar com política, economia, saúde e ciência dentro de um mesmo contexto? Como dar conta da diversidade e das especificidades brasileiras, traduzir gráficos e projeções elaborados a partir de modelos matemáticos com os quais o jornalismo tem pouca familiaridade e ainda cumprir uma série de regras para evitar o contágio da doença?

As inúmeras dúvidas se misturam a um vocabulário atípico que passou a ser largamente utilizado no contexto da pandemia. Esse vocabulário não inclui apenas termos específicos da medicina, mas também da epidemiologia, da matemática e da administração pública. Entender o significado de diversas palavras técnicas passou a ser essencial para a cobertura jornalística do novo coronavírus.

Para que as informações sejam bem entendidas pela população de todas as regiões do país, incluindo pessoas das várias classes sociais e profissionais das diversas áreas, é imprescindível a ação de um jornalismo livre e responsável. Essa importância se torna ainda mais evidente quando destacamos que estamos diante de uma doença pandêmica que depende da atitude de cada pessoa para frear a contaminação. Sem vacina e sem remédios, a informação correta, precisa e acessível se torna um dos principais instrumentos de combate à Covid-19, capaz de salvar muitas vidas.

Além de enfrentar o novo coronavírus, os jornalistas estão na linha de frente na guerra da desinformação. Num contexto de notícias falsas, boatos, informações conflitantes e polarização política, a clareza na comunicação com respaldo científico é essencial para que as pessoas entendam, por exemplo, o que realmente está acontecendo, como a doença está avançando, o que deve ser feito, como devemos agir, quais as formas de prevenção eficazes e quais medidas estão sendo tomadas pelo governo.

Foi pensando no desafio que está sendo enfrentado diariamente pelos profissionais do jornalismo, tendo a clareza do quão essencial é esse serviço neste momento de crise, que surgiu a ideia da elaboração deste material intitulado Como cobrir a pandemia da Covid-19 no Brasil? Orientações e Glossário para jornalistas. Representa uma das ações da Rede CoVida – Ciência, Informação e Solidariedade, um projeto de colaboração científica e multidisciplinar focado na pandemia de Covid-19, realizado através do trabalho conjunto do Cidacs/Fiocruz e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), com apoio de colaboradores de outras instituições de pesquisa nacionais e internacionais.

Para elaborar este material foi feito um levantamento, em fontes nacionais e internacionais, das principais diretrizes para jornalistas que estão cobrindo a pandemia da Covid-19, adequando e criando orientações específicas para o contexto brasileiro. Para a parte do Glossário, foram reunidos 75 termos utilizados frequentemente em referência a diversos aspectos que envolvem o novo coronavírus. O trabalho foi feito por uma equipe da comunicação em colaboração com pesquisadores de áreas da saúde, todos da Rede CoVida. A intenção foi apresentar definições claras, simples e objetivas desses termos para que não apenas jornalistas, mas também gestores públicos e pessoas comuns possam ter acesso.

A Rede CoVida é feita de várias mãos, num trabalho colaborativo que, através deste material e do esforço diário de reunir e repassar informações com embasamento científico, estende os braços para os jornalistas reconhecendo o importante papel que exercem neste momento difícil e desafiador.

DOWNLOAD.PDF